sexta-feira, 4 de julho de 2008

Do terceiro dia

Numa bandeja me trouxeram
um copo cheio desse estado
de semi-demência.
(Mentiram-me ser um tônico)
Engoli.
Engasguei.

3 comentários:

Jéssica Mendes disse...

O espanto, o engasgo e o belo. Simplesmente! Faz bem p'ra minha alma ver alguém tratando a Literatura tão bem!

404 Not Found disse...

ah paulo, eu adoro as coisas que tu escreve ;)

André Bandeira disse...

Puxa, você, traduzido pela sua palavra, engrandece a minha tese de que no anonimato há pessoas de gênios superiores ao da autarquia da frente...

Ainda bem que cê é da rua, a escola livre do ismo das prisões, a única filosofia poética, que de acordo comigo (olha, que decadência!) não há virtude, mas há arte.

* Apresentaram-me essa página, o meu amigo, que disse que foi um amigo dele que passou pra ele sobre um amigo que escrevia:

Se a vida por ora é tão fitoplanctônica e a gente esbarra assim nessa sopa coletiva de letras, como diria outra blogueira amiga minha, eu me achei no direito de intervir aqui, sem mais faticidade...

Abraços!!!