quarta-feira, 14 de maio de 2008

Velho Violeiro


Dissonâncias mal tocadas -
solitárias, ébrias -
no gelar das calçadas.

Velho violeiro.

O fado errante,
sob o luar pudico,
disseca-lhe o peito inconstante.

Pobre violeiro.

Ainda em vestes degradantes,
o traço da elegância,
acordes embevecentes.

Velho violeiro.


- A imagem que ilustra o texto é de um quadro de Pablo Picasso - "O velho guitarrista" ; "O velho violonista" - tanto faz.

6 comentários:

NanDa disse...

Adorei ver "O velho violonista" por aqui, Paulo :D
Gostei ainda mais de ver o teu lado lírico. Para um alguém que só se dizia capacitado para escrever dissertações,estás muito bem.
Boa sorte ;*

bia disse...

Paulão-"Leu o texto?"
Bia-"Li sim, achei um dos melhores"
Paulão-"Mas iai? Comentou?"
Bia-O.o"Não deu tempo, mas da proxima vez que eu entrar na internet...
Paulão-"Valeu Cumpadi..."

Estou aqui...
Adorei o teu texto piquenoo tu sabe disso...
xD
Amo a tua maneira de escrever

abraços...

Bia Rodrigues

Juliana disse...

Tá um Houassis.

Não digo que é meu preferido, mas de longe é o mais tabalhado, mais rebuscado, o que mais demonstra tua maturidade de brinca seriamente com as palavras.

Solitude disse...

ta errado...
o nome do quadro é
'o guitarrista velho'
não 'o velho guitarrista'

Ana Maria disse...

ah, não sei o que dizer.
talvez eu nem tenha entendido o que tu quis passar.
=*

404 Not Found disse...

ficou foda o Ocupado e o El figurante.

também gostei desse
gosto do que tu escreves paulo :*